Francisco e Jacinta Marto foram inicialmente aqui sepultados, após sucumbirem à gripe espanhola, também conhecida como gripe de 1918. Francisco faleceu a 4 de abril de 1919, aos 10 anos, na casa de seus pais. Os seus restos mortais aqui permaneceram até 13 de março de 1952, data em que foram transladados para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário no Santuário de Fátima.

Jacinta faleceu a 20 de fevereiro de 1920, no Hospital de D. Estefânia em Lisboa, com 9 anos de idade, sendo o seu corpo levado para o jazigo da família do Barão de Alvaiázere, em Vila Nova de Ourém. A 12 de setembro de 1935, os seus restos mortais foram transladados para o cemitério de Fátima e colocados junto aos de seu irmão Francisco. A 1 de maio de 1951, os restos mortais de Jacinta foram igualmente transladados para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário.