Ourém é um concelho que convida a acender uma vela no Santuário de Fátima e atravessar o recinto entre a Basílica de Nossa Senhora do Rosário, a Capelinha das Aparições e a Igreja da Santíssima Trindade. É um concelho que convida a um passeio pela Vila Medieval de Ourém, percorrendo as ruas calcetadas até ao Castelo e Paço dos Condes, além da visita à Cripta de D. Afonso, IV Conde de Ourém. É um concelho que convida a reviver o período Jurássico no Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios e a dar um mergulho revigorante nas águas translúcidas da Praia Fluvial do Agroal. É um concelho onde pode apreciar detalhes artísticos e etnográficos e descobrir a biodiversidade de áreas naturais classificadas, seguido de umas fatias de Bolo do Arco e de um copo de Vinho Medieval de Ourém. Ourém é um concelho com forte dinâmica cultural e desportiva e com um tecido empresarial pujante e inovador.  

Ourém é tudo isto e muito mais!  

Visite Ourém e conheça este território onde a História, a Fé e a Natureza são uma constante, assim como a Modernidade, a Inovação e a aposta no Futuro.  

História de Ourém

Após um período em que se supôs a precedência do topónimo Abdegas a Ourém, surgem novas pistas que afiançam a menção a “Auren” aquando da sua tomada aos mouros. Sobre a origem etimológica de “Ourem” conhecem-se várias teses, ora centradas no universo das lendas, ora apoiadas em semelhanças fonética.

A presença humana no concelho remonta a tempos pré-históricos, revelando ao longo dos períodos posteriores um elevado índice de ocupação, conforme denunciam por exemplo os vestígios arqueológicos e culturais romano e árabe. Tomada aos Mouros em 1136 por D. Afonso Henriques, Ourém torna-se em finais do séc. XII um dos primeiros concelhos do reino.

No séc. XIV D. Pedro I eleva Ourém a Condado e atribui o título a D. João Afonso Tello de Menezes. D. Nuno Álvares Pereira é nomeado 3º Conde, sucedendo-lhe o neto D. Afonso, um ilustre do séc. XV que instala a corte em Ourém, deixando notáveis marcas da sua vida e obra no burgo medieval, a exemplo da ampliação e remodelação do castelo medieval, da construção do Paço do Conde e Fonte Gótica, ou da fundação da Colegiada, a qual integra a cripta onde jaz este 4º Conde.

No séc. XVII ocorre um forte terramoto que abala quase por completo a sobranceira Vila de Ourém, A fragilidade deste burgo aumenta no séc. XIX com os danos provocados pelas invasões Francesas e pelas lutas liberais entre D. Pedro e D. Miguel, promovendo a ascensão de Aldeia da Cruz, inscrita no sopé do monte amuralhado a sede de concelho, passando a designar-se Vila Nova de Ourém.

Em 1917 decorre na Cova da Iria o milagre das aparições de Nª. Senhora a três pequenos pastores, emergindo dali a principal manifestação do culto mariano em Portugal e uma das mais importantes do mundo, materializada pelo Santuário de Fátima.

Já no final do séc. XX assiste-se à unificação da Vila Velha e Vila Nova de Ourém e à respetiva elevação a cidade e a sede de concelho, aliando-se desta forma a história e a modernidade em prol da construção de uma Terra com novos Horizontes.

Cronologia:

  • Em 1037 supõe-se que o castelo muçulmano de Ourém tenha sido conquistado pelo rei Fernando Magno de Leão e Castela.
  • Em 1136 Ourém é tomada aos mouros por D. Afonso Henriques, passando a integrar o domínio cristão.
  • Em 1142 “Auren” aparece documentado no primeiro foral de Leiria.
  • Em 1180 D. Teresa, filha de D. Afonso Henriques atribui a primeira carta de foral ao senhorio de Ourém.
  • Em 1183 D. Teresa doa o “eclesiástico” de Ourém a Santa Cruz de Coimbra.
  • Em 1217 D. Afonso II aprova o foral atribuído por D. Teresa.
  • Em 1242 D. Sancho II doa o senhorio de Ourém a D. Mécia Lopes d´Haro.
  • Por volta de 1350 D. Pedro I eleva Ourém à categoria de Condado, atribuindo o título a João Afonso Tello de Menezes.
  • Em 9 de junho de 1357 o senhorio de Ourém é doado a D. Beatriz.
  • Em 9 de agosto de 1382 João Fernandes Andeiro é nomeado Conde de Ourém.
  • Em 1422 o Condestável doa o Condado de Ourém a seu neto D. Afonso
  • Em 1449 é criada a feira franca em Ourém.
  • Em 1460 falece D. Afonso, o 4º Conde de Ourém.
  • Em 1515 D. Manuel I concede o 2º foral à vila de Ourém, com sentença em 1530.
  • Em 1695 é a vez de D. Pedro II lhe conceder o terceiro foral.
  • Em 1755 ocorre um grande terramoto, destruindo boa parte da antiga Vila de Ourém.
  • Em 1810 o concelho é saqueado, vandalizando e incendiando pelas tropas napoleónicas durante as invasões Francesas.
  • Em 29 de março de 1831 a Aldeia da Cruz é elevada à categoria de freguesia.
  • Em 1834 é extinta a colegiada de Ourém.
  • Em 25 de setembro de 1841, por alvará de D. Maria II, Aldeia da Cruz é elevada a sede de concelho e a vila, passando a designar-se Vila Nova de Ourém.
  • Em 1917 decorre o fenómeno das Aparições de Fátima.
  • Em 1991 Vila Nova de Ourém é elevada a cidade juntamente com a antiga Vila de Ourém, passando ambas a constituir sede de concelho, com designação de Ourém.
  • Em 1997 Fátima é elevada a categoria de cidade. (A.S)